Marketing Pessoal

publicidadeviral_marketing_pessaol
O marketing se tornou mais presente nas organizações e na vida das pessoas, decorrente das grandes transformações no mercado, por isso os indivíduos buscam estar cada vez mais preparados para atender suas necessidades e exigências, desenvolvendo contatos e relacionamentos, criando visibilidade, habilidades e competências relevantes na utilização plena de suas potencialidades para garantir o alcance do sucesso profissional e social.

Marketing Pessoal

No marketing pessoal o individuo deve desenvolver elementos como: posicionamento emocional; comunicação interpessoal, rede de relacionamento, posicionamento da imagem e ações de apoio.

Posicionamento emocional
É definido como a forma com que as pessoas se lembrarão de você, ou seja, o cuidado e a forma com que se dão os contatos interpessoais. As pessoas se recordam das outras pela forma com que foram tratadas, seja ela positiva ou negativa. Portanto é fundamental se relacionar demonstrando atenção, simpatia, ponderação e sinceridade, transmitindo o máximo de interesse pelo próximo, sendo autentico e transparente, pois atenção personalizada nunca é um investimento sem retorno.

Comunicação Interpessoal
É a forma pelo qual o individuo se expressa oralmente ou por escrito com os demais. Através da comunicação o individuo externa o que tem de melhor em seu interior. Usando um português correto e adequado a cada contexto, escrevendo bem, e utilizando diálogos edificantes e motivadores.

Rede de Relacionamentos
É a “teia de contatos”, sendo realizada nos mais variáveis níveis, tanto de forma horizontal (com seus pares em plano semelhante), quanto vertical (com planos mais elevados que o seu). O individuo deve ser capaz de relacionar-se em qualquer nível e sempre ser lembrado de forma positiva; deve manter os contatos ativos, fazendo-se presente e tratando a todos com atenção e cordialidade.

Posicionamento de imagem
É toda a adequação visual que o individuo tem ao contexto social, ou seja, o cuidado visual, da imagem pessoal. Com a supervalorização da imagem nos dias atuais, o cuidado visual passa a ser analisado realisticamente, através da utilização do traje correto de acordo com a ocasião; a combinação das peças de acordo com o perfil e estilo do individuo; como também os cuidados físicos fundamentais como corte de cabelo, higiene e saúde, formando uma composição harmônica e atrativa.

Ações de apoio
É toda a ajuda e incentivo para com os demais, buscando a melhor forma de harmonizar com os elementos conjuntamente. Deve ser baseado em atitudes sinceras e transparentes, destacando o que há de melhor no individuo.

Segundo RIZZO (2011, p.54): O marketing pessoal consiste numa ferramenta para colocar o produto pessoa em evidencia, torná-lo mais competitivo e, sobretudo, permitir que de maneira estratégica ele transite pelos diversos ambientes transmitindo a imagem de satisfação, do conhecimento, da organização, da criatividade, da integração entre as pessoas, com elegância, comportamento e argumentação apropriados.

É fundamental a continua melhoria das nossas atitudes, e autoanálise de nossas habilidades e competências trabalhando a melhor forma de nos comunicarmos com o ambiente. Como o produto que sofre modificações buscando atender as necessidades de mercado, o profissional também passa por transformações, evoluindo e agregando valor a sua imagem possibilitando o reconhecimento de diferenciação perante os concorrentes. Em todos os mercados o sucesso chega para aqueles que são considerados diferentes, inovadores e criativos, sendo únicos e excepcionalmente valiosos.

Mandamentos do Marketing Pessoal

Assim como as empresas se preocupam em destacar-se no mercado através do marketing, torna-se importante que o profissional tenha uma incessante preocupação relacionada ao seu marketing pessoal.

Para Ramalho (2008), a forma com que o individuo se expressa diz muito ao seu respeito, esclarecendo que o segredo do marketing pessoal consiste em criar empatia, permitindo que o outro se sinta a vontade em sua presença, tornando-se receptivo a sua mensagem.

Considera-se decisivo que ele tenha toda a sabedoria e cautela ao se expor no mercado, estando sempre atento as suas características, traçando estratégias e elaborando um bom plano para se tornar conhecido no mercado, permitindo que todos tomem conhecimento de suas habilidades e talentos, para assim destacar-se e ser o diferencial com sua carreira, alcançando o reconhecimento.

Seguindo este raciocínio, Gehringer (2007), relaciona os Dez Mandamentos que norteiam o profissional:

1° Liderança: O poder de influenciar as pessoas. Ser uma boa influência sobre os companheiros de trabalho.
2° Confiança: A habilidade de transmitir segurança, de forma que seja procurado pelos demais para encontrar soluções.
3° Visão: A percepção critica das coisas; o entendimento do que e por que esta se fazendo algo. Proporcionar melhorias e soluções para o desenvolvimento do trabalho.
4° Espírito de Equipe: Saber trabalhar em conjunto; auxiliar os demais sem interesses. Disponibilizar ajuda sem que seja necessário solicitar.
5° Maturidade: Capacidade de solucionar conflitos sem acarretar a outros.
6° Integridade: Fazer o seu trabalho sem prejudicar a ninguém, ser ambicioso dentro dos limites de crescimento.
7° Visibilidade: Ser voluntário, participar de apresentações, projetos e tarefas que possibilitem desafios e crescimento.
8° Empatia: Saber elogiar e reconhecer os méritos da equipe, valorizar o trabalho dos parceiros e aprender com eles.
9° Otimismo: Sempre pensar de forma positiva, saber lidar com as criticas e ter percepção positiva diante de todos os desafios.
10 ° Paciência: Ter calma para lidar com as pessoas e situações. Saber identificar as oportunidades no momento certo.

Imagem Pessoal (Marca)

A imagem é um dos maiores patrimônios de uma pessoa. Seu valor influencia diretamente no tipo de relacionamento que o individuo constrói tanto no âmbito pessoal quanto profissional. Philip Kotler mesmo cita “o valor patrimonial de uma marca está altamente relacionado ao grau de reconhecimento, a qualidade percebida, e as fortes associações mentais e emocionais”, ou seja, não basta apenas buscar posicionamento no mercado, é preciso saber atingir e se trabalhar o público, fazer parte do meio, transmitir atributos e valores que posam ser vistos por todos.

Faz-se necessário desenvolver continuamente mecanismos que agreguem valor sobre ela, que proporcionem reconhecimento das qualidades. Pois cada vez mais se toma consciência da importância de se desenvolver uma marca que se torne referencia no mercado, que possa ser a mais lembrada, procurada, desejada, querida e bem remunerada.

Segundo Peters (2000) “você é um produto no mercado de trabalho e deve crer nisso, caso não queira ficar encalhado na prateleira”. Para Persona (2005): “a marca que você transmite para as pessoas é uma questão estrutural do marketing pessoal, que se inicia no caráter, passa pelo comportamento e atitudes até chegar à reputação”. Nesse contexto, o marketing passou a focar nas emoções humanas, no valor social e ambiental que a imagem pessoal pode expressar junto ao seu cliente, surgindo assim à gestão da marca.

Esse nível de gestão exige pesquisa, observação e analise sobre a capacidade humana e tecnológica, para a construção de estratégias e abordagens que atinjam este objetivo, pelos meios de comunicação tradicionais e novos.

O profissional deve construir sua marca, pois essa é a sua principal ferramenta para encarar a concorrência e se posicionar diante dos desafios. O mercado precisa ter conhecimento de quem você é, quais são seus atributos, diferenciais e benefícios que sua marca tem a oferecer. Portanto, o marketing pessoal só é possível através da marca pessoal como identificação do profissional junto às pessoas e grupos sociais.

Sendo assim, o que separa milhões de pessoas e experts não é necessariamente a competência. O que faz a diferença é como eles se vendem para o mercado profissional pois a competência técnica é importante, mas o que diferencia no mercado é a imagem, criada e propaganda de si mesmo.

Mas do que limitar-se a cumprir seu papel, o profissional deve procurar fazer algo além, que surpreenda, como proporcionar que as pessoas percebam o quanto se é bom naquilo que faz e reconhecer os benéficos intrínsecos que se obtém com seus serviços, pois se for semelhante aos demais (do mercado) não terá nada a apresentar que o destaque da concorrência.

Blaco (2010) enfatiza que “a marca é um capital precioso. Construí-la e nutri-la é um exercício sofisticado, que constitui um aspecto intangível, visceral, emotivo, pessoal e cultural, e bem complexo para se construir”, sendo necessário investimento na sua construção e apresentação ao mercado. Portanto, sua marca significa o reconhecimento de suas habilidades, conhecimentos, capacidades, interesses e personalidade que garante um networking mais competente e bem sucedido.

Trabalhando o marketing pessoal é possível criar e desenvolver uma identidade coerente e consistente, gerando associações psicológicas positivas que possibilitam a visibilidade e reconhecimentos necessários para a ascensão da carreira e projeção social.

Conclusão

Através da autoanalise, reconhecimento dos fatores de sua personalidade e constante aprimoramento, desenvolvimento de habilidades e competências, transmitidas através de uma imagem forte e confiável, geram vantagem competitiva e valioso ativo estratégico onde o valor pago e reconhecimento pelo mercado será o resultado do valor representado pela marca pessoal.

Fonte => Marketing Pessoal – O desenvolvimento pessoal como diferencial do profissional do século XXI de Natália Tereza Athayde Wenzel

Erivaldo Ribeiro
Juntos, podemos sempre mais!

Gostou do artigo? Compartilhe!

Erivaldo Ribeiro é o fundador do Publicidade Viral. Empreendedor independente com foco em marketing, publicidade e empreendedorismo. Acredita que, ao compartilhar informações, está contribuindo para um mundo melhor. Temos um espaço no Facebook para nossa comunidade.

Marcado com: , , , ,

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*